8 passos simples para evitar perder sua marca

marca

Já pensou o que significaria perder sua marca?

Alguns empreendedores perdem o direito de uso da marca que eles mesmos criaram. Isso acontece devido a erros cometidos antes e até mesmo após registrar a marca.

Se isso acontecesse com sua marca, já imaginou o prejuízo que sua empresa sofreria?

Perder uma marca é um prejuízo difícil de calcular. Além dos gastos no novo desenvolvimento, haveria gastos com a reformulação do material visual físico e virtual da empresa. 

 

Faça as contas

– Reformulação Física: nova fachada, banners, papéis timbrados, rótulos, etc;

– Reformulação Virtual: Website, redes sociais, apagar posts antigos, etc;

– Reformulação do Marketing: novo estudo de branding para que o cliente entenda e aceite a mudança de marca, novos anúncios, slogans e eventualmente uma abordagem nova. Dependendo do produto, é como começar do zero.

 

Você poderá ver mais sobre a importância de registrar sua marca no artigo: Marca, porque registrá-la? Mas certamente já percebeu que perder uma marca é mais caro do que proteger ela!

Por isso, veja que passos você precisa dar para que sua marca fique sempre protegida:

 

1) Conscientização

O Brasil é um dos países que mais registra marcas no mundo. Mesmo assim, nos deparamos com muitas pessoas com a tendência de achar que o processo é caro e desnecessário, mas não é bem assim.

Essa é uma questão que não ‘aparece’ no nosso dia a dia, mas como vimos acima, pode se transformar num problema gigantesco.

Por isso, o primeiro passo é a conscientização de que a sua marca é um bem intangível, ou seja, ela vale dinheiro! Por isso deve ser parte de seu investimento inicial, mesmo que ainda esteja começando os negócios.

Não espere sua marca ‘ser mais conhecida’, poderá ser tarde demais. Já atendemos clientes que choraram depois que descobriram que não poderiam mais usar a marca pela qual trabalharam por tantos anos, sem registro. Isso pode acontecer com empresas que esperam demais para se preocupar com isso.

 

2) Consulta prévia 

É uma parte muito importante do processo. O ideal seria que os empreendedores realizassem essa busca prévia no planejamento inicial do negócio.

A ausência da pesquisa, poderá comprometer o resultado do seu pedido de registro, e dependendo do caso, pode fazer com que você perca os direitos de uso da marca. Portanto, certifique-se de que a sua marca seja inovadora e diferenciada, antes de adotá-la em sua empresa.

 

3) Pedido de Registro

Esta etapa exige o pagamento de taxas e o envio correto de informações sobre a marca, e deve ser feita junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI.

Tenha o cuidado de fornecer informações precisas. A prestação de informações falsas ou errôneas prejudicam todo o processo e até mesmo podem ter consequências legais. 

Por ser muito sensível, indicamos que a melhor forma é contratar uma empresa especializada em marcas e patentes para te ajudar neste processo.

 

4) Acompanhe todo o processo de registro

Após a solicitação do registro, o INPI faz uma publicação em sua revista, que não é o registro da marca, é apenas a oficialização do pedido de registro.

O pedido de registro, fica em análise, durante um longo período até que finalmente o registro é concedido e o certificado é entregue. Somente neste momento que a marca é oficialmente sua.

Mas será que depois de registrar sua marca, ainda há riscos de perdê-la? Sim!

 

5) Tenha um serviço de controle e vigilância da marca

Mesmo depois do registro sua marca pode sofrer ataques de pessoas que tentam registrar marcas similares, ou de empresas que pedem anulação do seu registro.

O serviço de monitoramento pode ajudá-lo a saber se alguém está tentando prejudicar sua marca e o que fazer para se defender nestas situações.

 

6) Registrou, precisa usar

Registrar uma marca somente para evitar que outros usem, não é garantia. A lei determina que o registro da marca pode caducar se ficar 5 anos sem uso.

Há um ponto interessante aqui que precisa de atenção, a marca utilizada deve ser exatamente a que foi registrada. Se a detentora do registro fizer modificações ela deverá pedir um novo registro, caso contrário alguém poderá pleitear o direito no INPI alegando que a marca não está sendo utilizada. 

 

7) Faça a prorrogação a cada 10 anos

A lei determina que o registro de marca deve ser prorrogado a cada 10 anos. Se o cliente não fizer o processo de renovação adequadamente dentro do prazo, ele poderá perder o direito de uso da sua marca.

Um caso famoso aqui no Brasil é o da apresentadora Xuxa, ela não fez a prorrogação do registro “Paquitas” no INPI e perdeu o direito ao uso da marca. Outra empresária entrou com o pedido e conseguiu o deferimento.

A briga agora está com os advogados da apresentadora que estão tentando reaver os direitos.

Vale lembrar que ela poderia ter contestado o pedido de registro antes do deferimento se tivesse um escritório monitorando suas marcas.

 

8) Peça ajuda de uma empresa de marcas e patentes

Como você pôde perceber, a proteção da marca é um processo longo, contínuo e técnico. Não é recomendado fazer sem ajuda de profissionais especializados, pois isso poderá colocar sua marca em risco.

A P.A. Produtores Associados Marcas e Patentes é uma empresa com quase 30 anos de mercado que acompanha os clientes em todo o processo de registro de marcas e obtenção de patentes.

Trabalhar com a P.A. Marcas é ter a certeza de fazer um processo sem preocupações. Conte com a nossa ajuda, pois esse assunto é bem sério. 

Aliás, tecnicamente, se uma empresa registra sua marca antes de você, pela lei ela será oficialmente a dona do registro. Pense nisso!

/ Registro De Marca / Tags:

Compartilhar a publicação

Comentário

Ainda não há comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de ajuda?
Mande um Whats!